Menu
* PREÇO DOS PRODUTOS:

Você está visualizando preços para: EMPRESA COM INSCRIÇÃO ESTADUAL Estado: SÃO PAULO - CLIQUE PARA ALTERAR

Por que meu leitor de código de barras não lê códigos bancários?

Por que meu leitor de código de barras não lê códigos bancários?

O código de barras é a representação gráfica de uma sequência numérica usada para identificar um produto. Tanto o gráfico quanto o numérico, apresentam o mesmo valor. Por este motivo, quando há dificuldade para ler um código, é possível digitar os números para registrar o mesmo produto.

Uma situação incômoda é quando você compra um leitor de código de barras e, na hora de usar para ler boletos bancários, ele não funciona. Uma reação provável é se perguntar o porquê disso, certo? A resposta é bem simples. O código de barras do boleto bancário segue um padrão diferente dos convencionais, por isso, determinados tipos de leitores não são capazes de decodificá-lo.

O processo de pagamento de boletos e recebimento de tarifas foi desenvolvido pelo Ceneaban (Centro Nacional de Utilização de Código de Barras) em conjunto com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban). O código usado nesse processo é formado por um padrão intercalado 2 de 5, que é um modelo internacional reconhecido para transação bancárias. Funciona da seguinte forma: as cinco barras, duas delas mais largas, definem um caractere. O espaço entre as barras também tem significado no código, é daí que vem o nome “intercalado”. Somente números podem ser usados e o tamanho deve ser de 46 posições, 44 para o conteúdo e 2 que definem onde é o início e o final do código.

Por usar esse formato diferente dos códigos tradicionais, que usam 44 caracteres, nem todos os leitores de código de barras estão preparados para ler os boletos brasileiros, que usam de 47 a 48 caracteres.

Leitor Nonus Homebank

O tipo de leitor mais indicado para boletos bancários é o leitor de fenda (Slot Reader), pois decodifica no formato digitação e é compatível com qualquer sistema de Internet Banking. Ele pode ser encontrado em duas versões: manual ou automático. Na primeira versão, como o próprio nome sugere, o operador deve passar todo o documento manualmente pelo aparelho e na segunda, basta colocar o papel na abertura que ele vai identificar, puxar, fazer a leitura e devolver, sem a necessidade de qualquer comando. Um exemplo é o modelo Handbank Eco Office 30.

A maior parte dos leitores de código de barras tipo pistola (laser/imager/CCD) também são habilitados para ler o padrão de codificação “2 de 5 intercalado”, porém, o resultado da leitura pode não ser compatível com os sites de Internet Banking. O modelo Nonus LI 250+ é um dos leitores laser capaz de codificar todos os boletos bancários.

Para habilitar a leitura de boletos bancários na maioria dos leitores pistola, é preciso consultar o manual do produto e verificar como a leitura de boletos é habilitada. Normalmente, é preciso apenas fazer a leitura de um código de barras de configuração para ativar e outro código para desativar.

Ajustes possíveis

É possível utilizar softwares que alteram os códigos Febraban para o padrão normal e fazer a leitura. Alguns internet bankings também oferecem a opção: "utilizar o leitor ótico" no momento de gerar o boleto. Isto torna possível fazer a leitura de boletos com um leitor não habilitado para Febraban. Esta solução nem sempre é 100% funcional, mas caso não seja possível investir em um outro leitor, é uma saída relativamente simples e econômica. Também é possível, por meio de fórmulas, usar uma planilha do Excel para fazer a conversão dos códigos tradicionais lidos pelos leitores para o padrão Febraban. Depois, basta colar no internet banking e realizar o pagamento.

Novo sistema da Febraban busca evitar fraudes

A possibilidade de quitar boletos vencidos em qualquer banco já é uma realidade, e o sistema está totalmente implementado desde o dia 10 de novembro de 2018. Com este sistema, não será mais necessário fazer o pedido de segunda via de boletos, pois o boleto vencido poderá ser pago e o cálculo de juros, multas e atrasos será feito automaticamente.  De acordo com a Febraban, todos os anos, 3,7 bilhões de boletos são emitidos e 40% deles não possuem qualquer registro. O novo sistema, que levou cerca de três anos para ser concluído, visa diminuir as fraudes e evitar golpes contra pessoas físicas e jurídicas.

Tem mais alguma dúvida em relação à leitura de códigos bancários ou de qual o melhor leitor para boletos bancários? Entre em contato com os consultores da Bz Tech ou deixe o seu comentário.


Avaliações e Comentários

Adicionar Avaliação e Comentário

* Visualizando preços para EMPRESA COM INSCRIÇÃO ESTADUAL - SÃO PAULO. Alterar

Meu Carrinho
0
Aguarde...
Loading