Menu
* PREÇO DOS PRODUTOS:

Você está visualizando preços para: EMPRESA COM INSCRIÇÃO ESTADUAL Estado: SÃO PAULO - CLIQUE PARA ALTERAR

O que é Logística 4.0?

O que é Logística 4.0?

Indústria 4.0 é um termo já conhecido para muitas pessoas, mas a expressão Logística 4.0, você conhece? Assim como para as fábricas, a ideia é se apropriar das novas tecnologias (uma suposta quarta revolução industrial) para tornar a logística – um dos maiores desafios para as empresas brasileiras em função dos custos elevados de transporte e do tamanho do país – mais eficiente, mais rápida e menos custosa.

Uma boa logística faz a diferença para qualquer empresa, qualquer que seja o seu ramo de atuação. Com um bom planejamento, é possível executar processos como produção, armazenamento, estocagem, distribuição, entre outros. Com tudo alinhado, é possível otimizar tarefas e o tempo, além de atender melhor os clientes e trazer mais lucros.

A cada dia, a tecnologia está mais presente na vida profissional e também na pessoal. Na logística das empresas não é diferente. Sempre que uma nova tecnologia surge, existem empresas buscando formas de utilizá-la para otimizar processos e trazer mais produtividade.

Uma ótima forma de usar a tecnologia a favor da sua empresa é investir em equipamentos de automação comercial. Estes itens garantem uma logística eficiente, informações confiáveis e fáceis. Veja alguns itens indispensáveis para qualquer empresa que quer otimizar os processos:

  • Coletor de Dados: Indicado para empresas que têm grandes volumes de mercadoria, esses dispositivos são capazes de armazenar um grande número de códigos de barras, fazer alterações nas informações dos produtos e são integrados com o sistema da empresa para dar informações em tempo real sobre o estoque, a saída e entrada de produtos, entre outras informações. Existe uma infinidade de modelos, alguns são capazes de ler códigos 2D, outros oferecem conexão 4G, modelos ultra resistentes e também existem modelos mais simples. Ou seja, um deles irá atender as necessidades da sua empresa.

  • Impressora: No setor logístico, a impressora pode servir para funções como impressão de notas fiscais, de etiquetas, para imprimir roteiros de transporte, entre muitas outras funções. Existem diversos tipos de impressoras que podem auxiliar na logística da sua empresa. Como impressoras fiscais, não fiscais, impressoras de etiquetas, impressoras matriciais, entre outras.

  • Leitor de Código de Barras: Presentes em praticamente todas as operações comerciais, os códigos de barras são importantes, pois fazem a identificação e também tornam possível o rastreamento das mercadorias. Existem vários tipos de leitores de código de barras, são eles: fixo, sem fio, com fio, com suporte, sem suporte, capazes de ler códigos 2D (QR Code), entre outros.

  • Computador: Para garantir um bom controle de estoque e uma boa gestão de processos, será necessário instalar um bom software de gestão. Por isso, um computador é indispensável. Podem ser instalados softwares específicos para logística, assim como sistemas de gerenciamento de estoque, bem como softwares para controle de transporte e rotas. O computador também permite controlar entradas, saídas, recebimentos e distribuições.

A tecnologia a serviço do empresário e dos consumidores.

Tecnologias como Big Data, RFID, Internet das Coisas e drones auxiliam a garantir a fidelização dos consumidores e reduzem chances de erros em entregas.

Parecido com o que acontece na Indústria 4.0, a ideia é usar toda a tecnologia de automação para agilizar processos e garantir uma logística mais eficiente, rápida e menos custosa, é a chamada Logística 4.0.

Existem empresas que estão investindo em tecnologias avançadas para inovar e otimizar as entregas. Como a Amazon, que conta com mais de 100 mil robôs em sua “equipe”, por exemplo, e está implantando a entrega de produtos usando drones e robôs. Também a Alibaba, a empresa chinesa que é um dos maiores e-commerces do mundo, está usando robôs para tarefas que vão desde encontrar os itens no estoque até fazer o despacho para os clientes. Os robôs são responsáveis por cerca de 70% do trabalho, otimizam e reduzem os custos do trabalho. São capazes de suportar até 500 quilos e vêm equipados com sensores que evitam colisões entre eles. A tecnologia também é econômica, pois bastam 5 minutos de carga para que os robôs sejam capazes de trabalhar por cerca de 5 horas.

Veja no vídeo abaixo como funcionam os robôs no estoque da Alibaba.

As dificuldades.

Criar uma estratégia de distribuição de produtos eficiente no Brasil é um desafio para uma série de empresas. Uma das maiores dificuldades é o uso excessivo do transporte rodoviário, que responde por 90% do fluxo de mercadorias, mas além disso ainda existem questões internas das próprias companhias.

Se os sistemas da empresa não são interligados e capazes de identificar a entrada e saída dos produtos no estoque, não há como existir uma tecnologia ou mesmo gestão suficiente capaz de otimizar esse desenvolvimento. E é por isso que a automação de processos é tão importante para as empresas.

Competitividade e interesse do cliente

Ter um sistema ágil e capaz de reduzir os custos com logística não é o suficiente. Com o aumento do número de compras via e-commerce com o passar dos anos, os clientes ficam extremamente insatisfeitos se a empresa não for capaz de cumprir com as indicações de prazo de entrega de produtos. Por isso, quanto menor o tempo de entrega, melhores serão as vendas.

Uma pesquisa realizadas em 7 países (Alemanha, Brasil, China, Estados Unidos, Japão, Reino Unido e Rússia) mostrou as consequências da demora no atendimento e entrega de produtos para os consumidores, os resultados foram os seguintes:

  • Apenas 39% dos consumidores dão uma segunda chance à empresa

  • 53% procuram um outro fornecedor ou um concorrente

  • 51% não voltarão a consumir na loja

  • 55% se mostram insatisfeitos e fazem comentários negativos sobre as companhias

  • 37% vão às mídias sociais compartilhar sua experiência negativa

Portanto, investir em otimização da logística da sua empresa é uma forma de aumentar a satisfação dos consumidores e ao mesmo tempo de reduzir custos e possíveis danos à imagem da marca.

Processo construído aos poucos

É claro que não é esperado que pequenas e médias empresas invistam em robôs ou drones para fazer entregas e separar produtos no estoque. Porém, para otimizar todos esses processos, o primeiro passo é a automatização. Você pode começar com um coletor de dados e um bom software de gestão, por exemplo. Estas duas aquisições já vão fazer uma grande diferença nos processos da sua empresa. Depois, a automatização de todos os processos pode ser construída aos poucos e tornar a sua empresa cada vez mais eficiente.

Um estudo realizado pela Associação Brasileira de Automação mostrou que, em 2017, 87% das empresas tinham a intenção de investir em novas tecnologias ou melhorias tecnológicas. Desse total, 27% pretendia investir mais de 3% do faturamento – um percentual bastante alto, visto que, em geral, os investimentos destinados às áreas de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) são menores. A possibilidade de rastrear produtos com mais facilidade, tanto nos estoques quanto na entrega, é um dos propósitos de boa parte dessas companhias.

As vantagens da automação

Um levantamento da Iteris Consultoria & Software identificou que a automação está no radar de boa parte das empresas: O motivo? 87% dos ouvidos acreditam que ela pode resultar em aumento da produtividade e os colaboradores teriam mais tempo para se dedicar a tarefas que ofereçam um maior valor agregado ao negócio, algo já buscado por Alibaba e Amazon.

Em uma automatização de processos, independentemente da área, existem fatos que precisam ser considerados e que se tornam críticos para que a mudança se torne vantajosa para a empresa.

Alguns fatores deixam essa tarefa ainda mais complexa, como os acordos de nível de serviço e controles de qualidade estabelecidos pelo próprio negócio (67% dos entrevistados apontaram esse dado). E os requisitos legais como o descumprimento de leis que podem resultar em penalidades às empresas (77% dos entrevistados indicaram isso).

A interferência da logística no e-commerce

Em 2017, o e-commerce movimentou R$ 59,9 bilhões, um aumento de 12% na comparação com o ano anterior, de acordo com dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) por meio da pesquisa “Logística no E-commerce 2017” (ainda a mais atual). Para expandir ainda mais, existe uma dificuldade vivida por todo o setor: os gargalos logísticos.

De acordo com os entrevistados, o transporte de mercadorias responde por 58% dos gastos, seguidos pela armazenagem (21,5%) e o manuseio (20,5%). Mais importante: em um momento em que os consumidores têm mais pressa na entrega dos produtos, o tempo de entrega aumentou!

Para São Paulo, por exemplo, o prazo subiu de 3 para 4 dias. Em Brasília, a média que era de 5 dias em 2013 passou para 7 dias em 2017. Na região Nordeste, os prazos são ainda maiores. Em Recife, o prazo passou de 6 para 10 dias. Na Região Sul, como em Porto Alegre, por exemplo, o prazo passou de 4 para 6 dias. Agora, se o seu cliente estiver em Manaus, o prazo de entrega chega a até 14 dias!

Ou seja, existe um sério problema enfrentado pelas empresas do país. O aspecto mais caro da logística é, também, o de menor qualidade. Mais interessante: quando as empresas tentam ingressar em um cenário de logística 4.0, levam ainda mais tempo para entregar os seus produtos.

Um dos fatores que contribuem com esses problemas está no fato de que o transporte no Brasil se faz, em sua grande maioria, por rodovias. E, segundo a Confederação Nacional dos Transportes (CNT), mais de 50% das rodovias do país estão em um estado de conservação péssimo ou ruim. Ou seja, por mais que haja investimento em automação comercial, outros fatores pesam nos preços e na capacidade de entrega.

Os problemas dos Correios

A dependência dos Correios vem caindo ao longo dos últimos quatro anos: em 2013, 93% das empresas utilizavam os serviços, este número caiu para 80,9% em 2017. Por outro lado, o número de transportadoras privadas aumentou de 35% para 52,8%, enquanto o uso de frotas próprias se manteve estável.

Um bom indicativo da redução de uso dos correios está em sua avaliação pelas empresas. Quase 44% das empresas considera os serviços ruins ou péssimos, enquanto que em 2015, esse índice era de 24%. Obviamente, as avaliações positivas também caíram:

  • De 44,8% em 2015 para 33% em 2017 para razoável;

  • de 27,8% para 21,4% para bom;

  • e de 3,5% para 1,7% para excelente.

As principais reclamações levantadas no estudo são:

  • Atraso nas entregas

  • Demora nas tratativas

  • Extravios

  • Preços abusivos

  • Descaso

  • Má qualidade de atendimento

As outras menções foram a furtos, sistema fora do ar, filas e o não pagamento de mercadorias extraviadas.

Ainda mais burocracia

Desde 2 de janeiro de 2018, o envio de mercadorias pelos Correios se tornou ainda mais complexo. Isso porque, no ato da postagem, a empresa precisa fixar a Nota Fiscal do produto ou uma declaração de conteúdo, que deve seguir um modelo incluído no site da empresa, conforme explica os Correios em seu site.

A mudança, de acordo com a entidade, visa se adequar às leis tributárias brasileiras, simplifica o recolhimento de informações pelos órgãos fiscalizadores e evita a sonegação fiscal. A expectativa é que muitas empresas tenham que se formalizar para poder seguir com o seu modelo de entrega pelos Correios, algo que geraria benefícios para a economia. No caso de venda de pessoas físicas, é preciso usar a declaração de conteúdo.

Desde o início do ano de 2018, as agências dos Correios reforçam que, se não houver o cumprimento das novas regras, as encomendas não serão enviadas. A própria empresa fez um tira-dúvidas, com perguntas e respostas, basta clicar aqui.

Conclusão

Ainda há muito para evoluir com relação à logística no nosso país. Enquanto empresários ao redor do mundo buscam formas de tornar as entregas mais inteligentes, rápidas e eficientes fazendo uso de tecnologias avançadas, ainda esbarramos em coisas como qualidade de estradas e prazos de entrega que chegam a, em média, uma semana. Porém, para otimizar os processos internos, garantir estoques organizados e com informações em tempo real,  a automação comercial é uma excelente forma de melhorar o atendimento aos clientes e também para facilitar a logística das empresas.

Dúvidas?

Se você tem dúvidas, críticas ou sugestões com relação ao conteúdo, por favor, use a seção de comentários aqui embaixo. Caso tenha dúvidas sobre automação comercial e a influência na logística, por favor, entre em contato com um dos nossos consultores. Em ambos os casos, será um prazer ajudar.


Avaliações e Comentários

Adicionar Avaliação e Comentário

* Visualizando preços para EMPRESA COM INSCRIÇÃO ESTADUAL - SÃO PAULO. Alterar

Meu Carrinho
0
Aguarde...
Loading